Comportamento

Teoria do Pano Preto e porque é tão ruim se deixar influenciar por ele

Você já ouviu falar sobre a teoria do pano preto? Bom, pode ser que ninguém tenha contado sobre ela para você, mas certamente em algum momento da sua vida você já passou por essa experiência. Vou dar um exemplo para explicar melhor o conceito.

 

Outro dia estava conversando com um amigo a respeito de sua ex-namorada, que agora havia se tornado um rolo “complicado”, para dizer o mínimo. Meu amigo, apesar da (falha) tentativa inicial de se afastar, acabava sempre a encontrando em seus rolês. E aí uma coisa levava à outra. Ele nem precisou comentar o quanto isso o abalava, estava escrito por toda a sua cara. A cada nova ficada, uma nova esperança ressurgia de “não, essa garota não posso deixar pra lá”, seguida de uma nova tentativa e, por fim, uma nova decepção de “a gente não dá certo mesmo”. E então o ciclo começava de novo.

 

O meu amigo não conseguia perceber é que dentre muitas outras coisas, as quais gritavam aos olhos de todos, ela adorava a sensação de tê-lo sob controle. De ser a causadora de sua inquietação. Entretanto, ele estava tão envolvido nessa situação com ela, que além de ele não perceber as milhares de pisadas de bola e péssimas atitudes, ainda achava que os outros é que estavam errados quando tentavam alertá-lo. “Vocês não conhecem ela de verdade” ou “eu não tenho medo de lutar por ela” eram ouvidos até à exaustão.

 

Sabem por que ele não conseguia ver a vida como ela era? Porque ele não estava realmente vendo. Na verdade ele estava interpretando os fatos, tendo-os eclipsados por uma cortina escura, onde todos os defeitos e problemas com aquela situação ficam escondidos. O pano preto também, em muitos casos, oculta todo um universo de pessoas em detrimento àquela em especial. Isso sempre acontece quando estamos apaixonados ou muito envolvidos com algo ou alguém (porque sim, o pano preto pode surgir em qualquer ocasião, não só em relacionamentos).

 

Quando o pano preto demora muito para cair, aí é o momento em que começam as expectativas exageradas, os relacionamentos abusivos, o ciúme, a baixa autoestima, a cobrança excessiva consigo mesmo, a ansiedade, a infelicidade, o afastamento dos outros… Porque, normalmente quem está vendado pelo pano preto, acha que todo mundo está enxergando as coisas da mesma forma que ela ou apenas contrariando de propósito.

 

Se você está percebendo que está sendo vítima do pano preto, primeiramente mantenha a calma. Respira fundo, que não é o final do mundo. Só tenta dar um passo para trás, sai de dentro da tela e só observa a pintura como um todo de forma crítica, sem interpretá-la. Procura ver as coisas como elas são, não como você gostaria que elas fossem. O seu relacionamento vai agradecer, porque talvez você tenha colocado a pessoa num pedestal tão alto, que está até sufocante para ela. Você vai se tornar uma pessoa menos ansiosa, sem a tal da ferida que dói e não se sente. E, na melhor das hipóteses, vai se livrar de algo que no fundo sempre fez mal, mas você estava com medo de enfrentar.

 

You Might Also Like